terça-feira, 5 de maio de 2020

o começo de tudo.


até eu entender a minha posição na sociedade eu realmente era cobrado dia-a-dia por todo mundo do colégio e acabava que eu tambem me cobrava.
quando sai do colégio publico e fui estudar num colégio particular era como se eu tivesse ido pra um outro planeta. de verdade.
eu era olhado de cima a baixo. roupa de marca, tenis, mochila, tudo.
como no colegio particular voce podia ir de calça jeans, tenis de qualquer cor, todo um mundo se abriu. era tenis nike, adidas, kangaroo; mochila e moleton da company; a calça de preferencia da company mas podia ser levis e relogio casio
logo assim que entrei eu repeti de ano.
acabei largando a natação tambem, era foda acordar muito cedo e ir direto pro colegio depois, antes eu estudava na parte da tarde, nesse novo colegio era de manhã.
tive que aprender todo um novo vocabulario, eram os sobrenomes. tipo malaguti, kovinski, popovic, etc etc etc.
todo mundo ia e voltava de carro, um ou outro que voltava de onibus como eu.depois de um tempo comecei a ir de bicicleta.
acho que eu realmente só me adaptei depois de dois anos no colégio.
ate porque foi quando vieram varios alunos repetentes do colegio santo agostinho; porem esses eram pessoas mais "normais", que não se importavam tanto com roupa de marca assim. eram os que mais me identifiquei.
no meu segundo ano no CRJ (colegio rio de janeiro), conheci um outro moleque que curtia som.
eu já não tava mais curtindo os beatles assim, john lennon morre em dezembro de 1980 e acabei deixando um pouco de lado
na radio tocava muito peter frampton, queen, era anuncio dos cigarros hollywood com asia, journey, essas coisas. era uma epoca que eu tava descobrindo os riffs de guitarra.
um moleque veio e me apresentou o famoso vol.4 do black sabbath e o burn do deep purple. tudo mudou na minha vida.
na sequencia conheço uns moleques na minha rua que curtiam acdc e iron maiden. começo a andar com eles. a gente passava a tarde andando de skate.
tinha uma turma mais velha que já eram profissionais, já tinham disputados campeonatos, andavam no condominio barramares etc. lembro que um deles tinha um skate escrito DEVO e eu não entendia, tipo o que ele deve? dae um outro moleque ria e falava, seu burro, isso é uma banda, e me saca um K7 com devo de um lado e missing persons do outro. eu não lembro do lado do missing persons, mas eu acabei curtindo muito o tal devo. acabo que fico correndo atras dessas informações ate descobrir uma loja no shopping da gávea, a gramophone.
começo a frequentar tanto a loja quanto o fliper desse shopping.
 a gramophone vendia muito disco importado, tipo o disco gringo era o dobro de um nacional. a foda era juntar a grana pra comprar um nacional, era uma semana inteira sem lanchar pra poder comprar um disco.
nessas eu já não tava nem ae mais pra estudar. só queria ouvir musica alta. comecei a rabiscar as minhas calças, arrumei um colete jeans e descobri uma loja chamada point rock em ipanema.
ouvia de tudo um pouco. de rush, iron maiden, acdc, ozzy osbourne, whitesnake, venon, def leppard, por ae...
ouvia devo e u2 escondido. devo era "new wave" e u2 era "pop". nacional nem pensar.
ate mesmo os beatles eu parei de ouvir.
era o começo da rebeldia.