sábado, 2 de maio de 2020

meu pai

meu pai trabalhou a vida toda no IRB, instituto de reseguros do brasil. é um seguro do seguro de todo o brasil, um orgão federal. o que isso quer dizer eu não sei, mas como disse antes, lá ele começou como office boy e foi subindo de cargo conforme o tempo
todo ano o IRB oferecia um presente de natal aos funcionarios com filhos, algo tipo uma lembrancinha, um brinquedo. um ano foi um caminhãozinho, outro ano foi um tarol de plastico. obvio que eu batia nesse tarol e fazia um barulho absurdo, logo sumiram com esse brinquedo. no outro ano não veio nada  hahahahahah

em 1975 foi lançado uma novela chamada pecado capital com francisco cuoco, betty faria e outros. a trilha sonora era fantástica, com paulinho da viola, luiz Melodia, wando etc. lembro claramente um dia meu pai ouvindo esse disco aqui em casa, ele me pega "batucando" uma das musicas. ele pega umas "baquetas" e pede pra eu ficar "tocando" num pedaço de madeira. e ficava repedindo a musica varias vezes. a musica chamava-se "melô da cuica" do azymuth. acredito que foi a primeira musica que "toquei" na vida.

aqui em casa tinha uma coisa com musica muito interessante. tipo alguma coisa de trilha de novela, maria bethania, construção do chico buarque, gal costa fase psicodelica, um outro do martinho da vila, roberto carlos, elizeth cardoso, jacob do bandolim, uma outra coisa de samba enredo de escola de samba, por ai...

logo cedo eles me deram aquelas vitrolinhas de plastico e veio todos os compactos da coleção disquinhos, dona baratinha etc. veio compacto mengo 70, lp do vila sesamo, lp do estupido cupido e o lp com negro gato do roberto carlos.
um pouco depois apareceu um gravador. minhas primeiras gravações eram musicas de filmes da sessão da tarde, filmes de elvis presley, jerry lewis, ...

tenho uma prima uns 4 anos mais velha. a gente frequentava muito a casa dos meus tios no bairro da gloria. tipo meus pais iam lá todo fim de semana pra jogar cartas. nessas jogatinas eu ficava fuxicando os discos dessa minha prima. tinha muito rita lee, carpenters e roberto carlos

todo ano era natal na casa desses meus tios. um dia eu cheguei no meu pai e disse: pai, a gente precisa passar o natal esse ano na casa do tio jorge? meu pai perguntou o porque, eu disse que era um saco todo ano ir pra lá e ficar vendo todo mundo bebado brigando por causa do jogo de cartas. depois disso nunca mais passamos o natal na casa do tio jorge.